Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Primeira audiência do caso Kathlen Romeu acontece nesta segunda-feira (16)

Designer, grávida, foi morta durante uma operação policial no Complexo do Lins, em junho de 2021
Foto: Arquivo Pessoal
Foto: Arquivo Pessoal

A primeira audiência sobre o caso Kathlen Romeu está marcada para esta segunda-feira (16). A sessão ocorre às 13h30 no Tribunal de Justiça, no Centro do Rio de Janeiro.

Kathlen tinha 24 anos e estava grávida quando foi morta por um tiro de fuzil durante uma operação policial no Complexo do Lins, na Zona Norte do Rio de Janeiro, em 8 de junho de 2021. Ela visitava a família quando a bala atingiu seu peito. As investigações não conseguiram identificar quem foi o responsável pela morte da designer, mas indicaram que o disparo partiu de uma arma da PM.

O Ministério Público denunciou cinco policiais por modificação na cena do crime e por falso testemunho. Dos réus, três são cabos, um é terceiro sargento e o último é capitão. A audiência aconteceria em abril, mas um ‘erro processual’ impediu que a sessão acontecesse. Na época, Davi Gomes, diretor da Federação das Associações de Favelas do Rio de Janeiro (FAFERJ), se pronunciou dizendo que o erro do TJ se tratava de uma tentativa de arquivamento do caso. Neste dia 16, a Faferj se pronunciou a respeito do caso pelas redes sociais.

A mãe de Kathlen, Jackeline Oliveira, espera há quase um ano por respostas. Em declaração à TV Globo, Jackeline relatou a tristeza pela falta da filha. “A gente está preso na dor, na saudade, na covardia que eles fizeram. Ela não conheceu o rosto do filho dela, ela não sabe o sexo do filho dela. Eu perdi o direito de ser mãe, perdi o direito de ser avó”.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]