Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Cannabis Medicinal: Projeto que ajuda famílias atípicas de favela inaugura sede física

Neem já facilitou acesso de mais de 300 mães de crianças atípicas ao tratamento com óleo a base de cannabis e agora atende presencialmente no Complexo do Alemão
Rafaela França, criadora e coordenadora do NEEM; e José Rocha, presidente da fundação Redwood Foto: Pedro Magalhães/ @pedromagalhaesz
Rafaela França, criadora e coordenadora do NEEM; e José Rocha, presidente da fundação Redwood Foto: Pedro Magalhães/ @pedromagalhaesz

No último sábado (17), o Núcleo de Estimulação Estrela de Maria (NEEM) inaugurou sua sede física no Complexo do Alemão. O local é um sonho da ativista e coordenadora do projeto, Rafaela França, que há algum tempo vem quebrando paradigmas e lutando contra a desinformação sobre o óleo de cannabis como alternativa para tratamento de transtornos neurológicos.

O projeto acolhe famílias de mais de 80 favelas do Brasil e teve início com a luta da Rafaela para ajudar sua filha Maria, diagnosticada com autismo ainda bem pequena. Enquanto era só online, o núcleo ajudou mães de crianças atípicas a conseguir atendimento médico, judicial e também acolhimento psicológico. Tudo isso com muita luta e esforço de toda equipe do projeto! 

Agora, a ideia é realizar esses atendimentos também presencialmente. “A favela não me deixou sozinha… Essa casa aqui fala muito sobre a força da favela, do NEEM, das minhas mães, da Manu (filha mais velha)… Se a minha vida fica um pouco mais leve pra fazer com o que o medicamento chegue na favela, eu consigo unir forças pra completar essa casa. Que essa casa aqui vire um marco de acolhimento!”, discursou emocionada Rafaela França.

Parcerias com mães voluntárias e fundação Redwood

O NEEM iniciou com a luta de uma mãe, mas impactou a vida de várias. Hoje, o núcleo conta com um grupo de diversas mães voluntárias que ajudam desde tarefas burocráticas até o acolhimento de novas famílias atípicas.

Michelle Santos, Cinthia Carvalho, Cristiane Santos, Daniele Brito, Viviane Mendes da Silva e Waleska Lima são algumas das voluntárias do projeto que estiveram presentes na inauguração da sede. Elas falam sobre a alegria e alívio de encontrar companhia para a jornada, muitas vezes dolorosa, de ser uma mãe atípica. “A gente compartilha sentimentos que só a gente sabe. Só a mãe sabe… então quando você tem uma pessoa que tá passando pelo mesmo sentimento que você, ela te dá suporte. E assim a gente vai se fortalecendo”, conta uma mãe voluntária.

Uma vez por semana, as famílias acolhidas também têm acesso à terapia em grupo para compartilhar suas experiências. Além do voluntariado, o Núcleo de Estimulação Estrela de Maria conta com a parceria da Fundação Redwood, que facilita o acesso ao óleo de cannabis junto à Usa Hemp Brasil. Tendo José Rocha como presidente, a equipe da fundação esteve presente na inauguração discursando, colaborando na organização e fazendo a cobertura audiovisual do evento.

Outras parcerias essenciais e o que ainda precisa ser feito

Manuella Sales é assessora de imprensa e uma figura importantíssima na mobilização da sede física do projeto. Além dela, figuras importantes do CPX também prestigiaram a inauguração do NEEM. Lúcia Cabral (EDUCAP), Renata Trajano (Coletivo Papo Reto) e Camila Moradia (Mulheres em Ação no Alemão) são parceiras e apoiadoras de longa data do trabalho de Rafaela França e sua equipe. 

O espaço do NEEM está oficialmente inaugurado, mas ainda faltam alguns ajustes para ele ficar perfeito. O local já conta com uma sala pensada especificamente para atender crianças autistas e com outros transtornos neurológicos. O NEEM funciona de segunda à sexta das 9 às 17 horas, no endereço Vila Sérvio Tulio 22, loteamento da Castrol, em Inhaúma. Para conhecer e saber como ajudar: @neem.2022 no Instagram.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]