Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

ONG realiza doação de absorventes para adolescentes na Maré

A ação é da Absorvendo Amor, junto da Casa das Mulheres da Maré, e acontece neste sábado (5), a partir das 10h
Foto: Reprodução / Instagram
Foto: Reprodução / Instagram

Dentro da Constituição Brasileira, o direito à vida e o bem-estar são pilares essenciais para o desenvolvimento de um cidadão brasileiro. Na intenção de contribuir com essa realidade para as meninas jovens, residentes do Complexo de Maré, a Casa das Mulheres da Maré realiza, em parceria com a ONG Absorvendo Amor, neste sábado, a partir das 10h, uma ação de doação de absorventes reutilizáveis para mulheres de até 20 anos.

A iniciativa é de extrema importância para a saúde pública no Brasil. Pois, de acordo com as pesquisas da organização Girl Up, uma a cada quatro adolescentes não possuem acesso ao absorvente. Esse é um retrato da desigualdade brasileira nos indicadores de bem-estar no cotidiano e que afeta principalmente jovens nas comunidades cariocas.

Além disso, o estudo “Impacto da pobreza menstrual no Brasil” revela que 28% das meninas que não possuem esse ítem de autocuidado e higiene deixaram de comparar as aulas pelo receio de menstruarem na roupa.

Inaugurada em 2016, a Casa das Mulheres da Maré é um espaço destinado para o cuidado e protagonismo feminismo das moradoras do maior conjunto de favelas do Rio de Janeiro. Administrado pela Redes da Maré, a sede, onde ocorrerá a distribuição, está localizada na Rua da Paz, Parque união, número 42.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]