Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Criança morre atingida por bala perdida no Morro do Turano

Alice foi atingida no pescoço nos primeiros minutos do ano novo

Foto: Reprodução

Uma criança morreu baleada em casa durante a queima de fogos na última sexta-feira (01), noite de réveillon, na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

Nos primeiros minutos de 2021, Alice Pamplona da Silva de Souza, de apenas 5 anos, foi atingida por uma bala perdida no pescoço, quando estava no colo da mãe. A menina foi a primeira vítima infantil de violência este ano.

Aniversário da Alice
Foto: Reprodução/Acervo Pessoal

Parentes filmavam os fogos de artifícios quando, de repente, algo atingiu a menina. No momento, pensaram que fosse resíduos de fogos. No entanto, ao chegar no Hospital Casa de Portugal, médicos constataram que se tratava de um projétil. Por conta dos ferimentos, a garota não resistiu.

Aproximadamente 100 pessoas, entre familiares e amigos, acompanharam o velório de Alice. Esse ocorreu na tarde do último sábado (02) no Cemitério do Caju (também na zona Norte da cidade). A mãe e avó de Alice Pamplona passaram mal durante o velório. Mas parentes as ampararam. Com isso, ambas não conseguiram acompanhar o enterro.

Foto: Betinho Casas Novas

Segundo a Polícia Civil, o caso está registrado na 6ª DP (Cidade Nova), que instaurou inquérito para apurar os fatos. O caso ficou sob a responsabilidade da Delegacia de Homicídios da Capital. Entretanto, as investigações continuam, a fim de identificar e esclarecer de onde partiu o tiro que atingiu a criança.

Em nota, a Subsecretaria de Estado de Vitimados, responsável por oferecer atendimento psicológico e social às vítimas de violência e suas famílias, informa que ofereceu auxílio à família de Alice Pamplona. A equipe psicossocial da pasta esteve no enterro da menina e segue acompanhando o caso.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]