Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Buraco vem obstruindo passagem de moradores no Alemão na rua principal da comunidade

O buraco, vem tomando conta de uma das calçadas da avenida Itaóca, está há mais de 60 dias sem que tenham sido tomadas as providências de reparo por parte da prefeitura da cidade.
Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

Há cerca de dois meses um buraco vem se formando em uma das calçadas da avenida Itaóca, no Complexo do Alemão, na zona Norte do Rio. Especificamente entre a base da Light e a Escola Municipal Afonso Várzea. O buraco está obstruindo a passagem dos pedestres na calçada e pondo em risco a segurança de moradores que transitam por ali constantemente.   

Moradores de favela do Rio, na sua maioria, cobram apenas o que é digno, o básico como luz, água, segurança e uma boa infraestrutura para se viver. Contudo questões tão simples acabam sendo postas de lados pelas autoridades.

Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

O buraco, que vem tomando conta de uma das calçadas da avenida Itaóca, está há mais de 60 dias sem que tenham sido tomadas as providências de reparo por parte da prefeitura da cidade. O comerciante Valdeci Xavier, de 60 anos, tem sua barraca próxima ao buraco e comentou sobre a situação: “Ah aqui ninguém faz nada, isso tá aí há muito tempo, só vão fazer quando acontecer alguma coisa, e o verão tá vindo ai, preocupa como vai ficar”. 

Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Além do transtorno para quem passa a pé por esse trecho da avenida, um senhor já caiu no buraco. Depois da queda, moradores tiveram a iniciativa de colocar uma sinalização no local para avisar do perigo e evitar que outras pessoas caiam no buraco.

O Voz das Comunidades, até o momento da publicação da matéria, não obteve resposta da Secretaria de Infraestrutura e Habitação sobre previsão de reparo na calçada.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]