Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Barbeiro que trabalhava em calçadas conquista seu próprio salão no Alemão

Conheça a história do jovem barbeiro Matheus de Oliveira, que começou nas ruas e hoje tem sua barbeira

Matheus de Oliveira Noberto, de 21 anos, é estudante de Análise de Sistema na Estácio e morador do Complexo do Alemão há três anos. Neste tempo na comunidade trabalha como barbeiro, começou nas calçadas da avenida Itararé e hoje tem o seu próprio salão.

A favela é uma potência de empreendimento, o favelado tem uma coisa que é muita das vezes negada pela sociedade, a oportunidade. O Complexo do Alemão, como muitas outras comunidades, oferece ao morador esta oportunidade de ter seu empreendimento e poder construir seu negócio, a fim de ter a chance de mudar de vida e ter a sua renda.

Começo como barbeiro

O jovem nunca se imaginou cortando cabelo ou muito menos vivendo desta profissão. Apenas queria fazer um dinheiro extra, mas, o que começou um bico hoje é sua fonte de renda e profissão.

Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

“Sempre fui muito curioso, nunca me interessei por cortar cabelo, mas gostava de computadores. Um dia tinha um amigo do meu tio com cabelo grande e fui cortar, ele gostou e dali fui indo. Comecei a assistir vídeos nos Youtube em 2016, mas era muito pouco conteúdo naquela época. No Natal de 2017, eu arrumei uma tenda com a minha tia e cortei ali mesmo na calçada, naquela data eu estourei. Após o Natal, eu continuei e conquistei minha clientela e aí comecei a cortar de vez”, contou Matheus.

Mãe como inspiração

O barbeiro, que não tinha como meta sair das calçadas, amadureceu a ideia, começou a investir na profissão no ano de 2018 e a profissionalizar seu trabalho. Decidiu então sair das ruas, ir em busca seu próprio salão, e alugou um espaço para cortar. Depois de alguns meses, deu um passo mais além e quis ter sua própria barbearia.

“Penso que tô no caminho certo. Sempre fui bem de cabeça e pensei no meu futuro. Minha mãe sempre botou isso na minha cabeça, e eu tinha ela como base. Ela é minha maior inspiração, ela é a pessoa que eu mais vi ralar na minha vida, então sempre tive ela como inspiração”

Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

Com mais de 1 ano com seu próprio espaço, Matheus já planeja como objetivo dar mais um passo e em 2021 ter mais uma barbearia no Complexo do Alemão, porém, com um estilo alternativo. A meta é chegar ao nível de somente administrar os salões.  

“Fiquei juntando durante um ano, mas o dinheiro que juntei era pouco. Pedi ajuda a minha família e negociei esse espaço com o dono, só comecei a realizar as obras depois de pagar tudo. E o dinheiro que entrava dos cortes, ainda no outro salão, eu investia aqui, me dividia entre o trabalho e as obras e fui indo. E consegui chegar aqui”.

Quer dar um tapa no corte, morador? A barbearia do Matheus fica na rua A, 22, próximo ao condomínio do IPÊ. 

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]