Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Prefeitura do Rio muda nome de rua no Alemão para homenagear fundador do Bistrô Estação R&R

O morador Marcelo Ramos faleceu no último dia 12 de junho, em razão de complicações causadas pela Covid-19
Vilma Ribeiro

Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

A Prefeitura do Rio de Janeiro anunciou na manhã desta terça-feira, 06 de julho de 2021, que a Travessa Jalisco, localizada na Nova Brasília no Complexo do Alemão, Zona Norte da cidade, passará a se chamar Travessa Marcelo Ramos Andrade. A mudança é uma homenagem pública ao fundador do Bistrô Estação R&R, que foi mais um morador de favela vítima da Covid-19.

O empreendedor Marcelo Ramos, de 47 anos, faleceu no último dia 12 de junho, em razão de complicações causadas pela Covid-19. Marcelo inovou na comunidade ao começar um empreendimento totalmente contrário dos estereótipos atribuídos a um bar em favelas. As cervejas artesanais feitas pelo empreendedor conquistaram espaço. 

Bistrô Estação R&R
O morador foi uma das 146 vidas que partiram por conta da Covid-19 no Alemão
Foto: Reprodução

A dor da saudade

Gabriela Romualdo, viúva de Marcelo e também fundadora do Bistrô, falou como muita emoção sobre a homenagem. “Fiquei extremamente emocionada com a concretização. Ninguém mais chama a travessa Jalisco por esse nome, a referência sempre foi “A rua do Bistrô”. Isso porque com o Bistrô ficou conhecida, mais movimentada, limpa. Trouxemos paisagismo, iluminação, virou ponto turístico. É parada obrigatória para fotos de quem passa por aqui. O Bistrô foi pauta de matéria internacional concretizando o que sempre foi o nosso objetivo: Levar o nome da nossa favela para mídia de forma positiva e bem longe das páginas policiais“, ressaltou Gabriela.

Marcelo e sua esposa, Gabriela Romualdo, desde 2012 eram os proprietários do Bistrô Estação R&R, que fica na localidade da Nova Brasília, Complexo do Alemão.
Foto: Acervo Pessoal

“Não trouxemos somente a cultura cervejeira para a favela. Marcelo fez uma linha de cerveja com o nome Complexo do Alemão e deixa a nossa favela fazendo história no mundo. Uma existência para ser lembrada! Deixa sua história marcada por seu empreendedorismo, suas conquistas, determinação e ousadia. Mas o legado mais importante foi deixado para mim e nosso filho: valorizar os momentos em família”, completou comentando sobre a importância do legado deixado pelo marido.

Juntos há 25 anos, o casal construiu o empreendimento. E, desde o início, botavam suas caras em todos os projetos feitos. “Me ver sem ele é a pior dor que já senti na vida. É vazio, assustador e desumano. Mas esse recomeço não é exatamente começar a partir do zero. Seguiremos sendo quem somos. Com os aprendizados deixados por meu marido. Já temos uma história, que é nossa, e tenho uma equipe incrível no Bistrô. Independentemente das dificuldades que possam surgir, estaremos juntos e de mãos dadas, mantendo o funcionamento a todo vapor como ele sempre amou fazer”, afirmou ela.

Recomeço

Muitos amigos, clientes e moradores prestaram homenagem a Marcelo e deixaram mensagens de carinho para Gabriele. Foto: Reprodução

O local, que voltou às atividades no último domingo (04), recebeu inúmeras declarações de carinho pelos moradores, e mensagens de apoio a toda equipe de funcionários. Gabriela agradeceu a todos os clientes e amigos. “O Bistrô Estação R&R e Cerveja Complexo do Alemão irão permanecer, sim! Foi um legado construído a dois e estarei aqui mantendo tudo funcionando como sempre foi. Mas para que este legado permaneça não depende única e exclusivamente de mim. Para perpetuar requer a união de todos nós. Porque vocês moradores, nossos amigos, fornecedores e clientes, são peças fundamentais para o sucesso do Bistrô. Não vai ser fácil, vai doer, mas não tem jeito. Respirem fundo, porque vamos percorrer esse caminho juntos”, concluiu. Muitos amigos, clientes e moradores prestaram homenagem a Marcelo e deixaram mensagens de carinho para Gabriele.

Agora o Bistrô Estação R&R funcionará na rua que leva o nome do seu fundador. Assim, mantendo a memória, vida, e todo o legado de Marcelo Ramos no Complexo do Alemão.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]