Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Plano de Ação do CPX: Marina do MST realiza visita técnica em rede de hortas comunitárias do Alemão e Penha

Visita foi articulada a partir do Plano de Ação Popular do CPX, documento que reúne as principais demandas do território
Foto: Ian Ribeiro

A deputada estadual Marina do MST (PT), junto a Comissão de Segurança Alimentar (presidida pela petista) e lideranças comunitárias do Complexo do Alemão, realizaram uma visita técnica a cinco projetos sociais do território. Estes locais serão as futuras hortas comunitárias da comunidade, que além de produzir alimentos saudáveis sem o uso de agrotóxicos, terão como objetivo geração de renda, abastecimento de escolas e construir uma conscientização alimentar entre os moradores. A visita, que aconteceu no último sábado (29), foi articulada a partir do Plano de Ação Popular do CPX, documento que reúne as principais demandas do território.

A deputada estadual e presidente da Comissão de Segurança Alimentar da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), Marina do MST comenta que a visita técnica, para além de conhecer as experiências e potencialidades existentes nos Complexos do Alemão e Penha, servirá para construir coletivamente o planejamento para cada localidade.

Foto: Ian Pereira

“A partir dessa visita nos fica o desafio de levar para as possibilidades de construção no legislativo, tanto lei ou indicação legislativa, mas principalmente de nos fortalecermos através do instrumento que é a Comissão de Segurança Alimentar da Alerj. Abrangendo os poderes municipal, estadual e federal”, disse a deputada.

Naty Silva é fundadora de um dos projetos sociais que farão parte da rede de hortas, o Resgatando a Inocência, no Morro do Adeus, Complexo do Alemão. Ela comentou que assim que procurou um terreno para comprar, já que antes o espaço não era do projeto, pensaram muito na horta. Não só ela, como as crianças também. “A iniciativa partiu delas. Sempre conversamos com as crianças, instigando o pensamento crítico.Então, a gente já vinha querendo uma horta, já que a gente visa muito a parte boa de se alimentar bem, sem veneno”, exemplificou Naty.

Foto: Ian Pereira

Alan Brum Pinheiro, coordenador do Plano de Ação Popular do CPX e fundador do Raízes em Movimento, explica que uma das pautas do documento, no que diz respeito ao Meio Ambiente, é a consolidação de uma rede de hortas comunitárias. “A gente vai ter a possibilidade de um fechamento mais concreto a partir desta visita, porque cada local previsto para a rede está em um nível diferente de desenvolvimento. Vamos avaliar, mas com certeza alguns passos serão dados a partir dessa visita”, pontuou.

Foto: Ian Pereira

Alan ressaltou ainda sobre o objetivo central da rede de hortas comunitárias, que é pensar a segurança alimentar do território, “Tivemos muita clareza da quantidade de pessoas que tem passado fome nas favelas, principalmente durante a pandemia. Ficou muito evidente. Então, eu acho que pensar a segurança alimentar a partir de alimento da própria favela é muito importante. A essas é o primeiro passo para alavancarmos uma cultura de produção urbana”, disse.

“A ideia não é só ter as hortas comunitárias, mas trabalhar com as mulheres que sao mães solo, para terem hortas caseiras, além de trabalhar a arborização da favela e também reinserir egressos do sistema penitenciário e jovens em medida socioeducativa”, finalizou Alan.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]