Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Moradora da Zona Oeste do Rio está desaparecida há uma semana

Bárbara Siqueira moradora da Tijuquinha desapareceu desde o último domingo. Jovem estava abalada com fim de relacionamento.
Barbara esta desaparecida. Foto: Reprodução

Barbara Siqueira Souza Pinto, de 29 anos, vendedora de loja, está desaparecida desde domingo (16). Segundo informações, ela desapareceu por volta das 20h da noite. O último contato foi com sua mãe, Maria José, foi por ligação, quando Bárbara desabafou sobre se suicidar. O boletim de desaparecimento foi registrado na quinta-feira (20), na 15º DP – Gávea.

Barbara é moradora da Rua Machado e Silva, 130, na Tijuquinha, Zona Oeste do Rio de Janeiro e tinha se mudado para região há uma semana. Segundo informações, na manhã do dia 16 de junho, ela entrou em contato com sua amiga Yuna Ferrari, dizendo que estava mal pós termino de namoro com um francês chamado George. Yuna e Bárbara se encontraram na praia de São Conrado, Zona Sul do Rio do Janeiro para conversar e depois, foram até a casa de Yuna, onde discutiram. Naquele dia, por volta das 18h, Bárbara retornou para sua casa, na Zona Oeste.

Katiane Souza e Yuna Ferrari, amigas da desaparecida, relataram que Barbara aparentava estar confusa. Elas afirmaram que a jovem não utilizava medicamentos e que nunca tinha apresentado aquele comportamento. As amigas contaram que estão em busca da Barbara e já foram até o apartamento da jovem e encontraram tudo em ordem. Elas também consultaram hospitais, IML e outras instituições atrás da jovem.

Bárbara continua desaparecida. Informações sobre o paradeiro de Amanda, é possível entrar em contato com os números: (21) 994194303 (Katiane) e (21) 979739728 (Yuna).

Bárbara mandou mensagem

Na quarta-feira (19), cerca de 20h da noite, segundo informações das amigas: Bárbara entrou em contato pelo WhatsApp, com o seu ex-companheiro, George e disse: “vim em São Paulo, eu amo São Paulo. Moraria aqui, sabia?” Apagou as últimas mensagens e não retornou mais, mensagens não chegam em seu celular desde então. Sua foto e seu número permanecem os mesmos, mas os familiares e amigos próximos desconfiam que seja alguém usando seu celular.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]