Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Em campanha pela visibilidade periférica, Prefeitura do Rio inicia cadastro de líderes comunitários

A ação visa criar um canal de comunicação entre a gestão municipal e os articuladores periféricos

Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

É inegável a importância da presença de líderes comunitários nas favelas do Rio de Janeiro. Com o objetivo de potencializar as vozes de quem move a coletividade pelas comunidades cariocas, a Prefeitura do Rio de Janeiro, através da Secretaria Especial de Ação Comunitária/SEAC, realiza o cadastro de lideranças periféricas na campanha municipal “Lideranças Comunitárias das Favelas Cariocas”.

De acordo com o Censo de 2010 do IBGE, a Capital do Rio de Janeiro possui 763 favelas na extensão do seu território. Para compreender e aproximar as questões demandadas pelos moradores de periferia, a plataforma mapeia lideranças locais instituídas e amplia o espaço de comunicação e interação com a gestão municipal, construindo uma rede que visa melhorias na qualidade de vida das favelas.

cadastro de líderes comunitários
Campanha da Prefeitura do Rio de Janeiro visa mapear lideranças comunitárias para facilitar a interação com a população.
Foto: Reprodução.

Segundo as informações da Secretaria Especial de Ação Comunitária, o interesse em participar da rede de cadastro deve ser enviado através do endereço eletrônico ([email protected]) compartilhando as informações básicas de cada articulador comunitário (nome, idade, bairro e coletivos).

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]