Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Com garantias de transformações sociais, projeto Cidade Integrada é apresentado à população

De acordo com o governador Cláudio Castro, a iniciativa pretende levar ações de caráter social, econômico, além de infraestrutura e segurança às comunidades do Rio, começando pelo Jacarezinho e Muzema
Foto: Carlos Magno
Foto: Carlos Magno

No último sábado (22), após operação de ocupação do Jacarezinho, o governador Cláudio Castro (PL) apresentou o programa Cidade Integrada. De acordo com ele, a iniciativa busca levar ações sociais, desenvolvimento econômico, infraestrutura e segurança para comunidades do Rio de Janeiro.

As primeiras regiões de atuação do programa são o próprio Jacarezinho, na Zona Norte, e Muzema, na Zona Oeste. O investimento inicial para o desenvolvimento dos projetos será de cerca de R$ 500 milhões nas duas regiões. A escolha inicialmente das duas comunidades se deu por alguns critérios de avaliação feitos pelo Governo do Estado, como o de índice de criminalidade e o número de habitantes, cerca de 40 mil. 

Sobre o Programa

“Todos têm o direito de viver com dignidade, de ter oportunidades e segurança pública e é isso que o Cidade Integrada está levando a essas comunidades. Nosso foco são os mais vulneráveis, os idosos, os jovens e as mulheres. Estamos implantando ações transformadoras. Todo o governo está mobilizado. Ontem, visitei alguns dos espaços que receberão os projetos. Ao longo da próxima semana, vamos focar, em parceria com a Prefeitura do Rio, para solucionar problemas como o lixo, por exemplo “, afirmou o Governador.

Segundo o plano do Estado, serão quase 40 secretarias e órgãos estaduais para implantar e coordenar projetos nas comunidades, como iniciativas voltadas às mulheres, idosos e jovens; construção e reforma de equipamentos públicos; melhorias habitacionais e de infraestrutura; saneamento; saúde; educação, além de fóruns e grupos de trabalho para discutir a implementação das demandas da população. Também está no planejamento atender comunidades em diferentes regiões da cidade e com IDHs diferentes.

Favela do Jacarezinho, primeira a ser ocupada 

Ao lado do Jacarezinho, em uma área de 44 mil metros quadrados onde funcionava a fábrica da General Eletric, será construído um mercado produtor, uma unidade de saúde e um batalhão da Polícia Militar. Estão previstas ações de revitalizações e de saneamento básico, nesta semana.

O programa prevê também urbanização, com implantação de asfalto, iluminação e ciclovia. No Jacarezinho, dois condomínios serão reformados, um na Av. Dom Hélder Câmara e outro no Conjunto dos Ex-combatentes. Serão construídos, dentro do programa Casa da Gente, 765 imóveis. A população também ganhará uma unidade da Faetec. A Escola Luiz Carlos da Vila e a Biblioteca Parque de Manguinhos serão revitalizadas.

Agentes do Estado estiveram na comunidade do Jacarezinho no último sábado (22), para iniciar as intervenções na comunidade
Foto: Carl de Souza/ AFP

Na manhã da última segunda-feira (24), o governador esteve presente na comunidade para receber as primeiras obras do programa. Iniciou-se as obras de macrodrenagem no Jacarezinho, que inclui canalização do Rio Salgado, limpeza do Rio Jacaré e urbanização do entorno. A revitalização da Escola Luiz Carlos da Vila e do Centro de Referência de Juventude também já começou. De acordo com o cronograma pré-definido, serão realizadas no local entre outras coisas, além das obras de saneamento, como urbanização nos arredores e implantação do asfalto, iluminação e ciclovias.

Muzema

A comunidade foi ocupada pelas forças militares no último dia 19. O foco da operação foi intervir nos crimes ambientais e serviços ilegais. Em 2019, vinte e quatro pessoas morreram após o desabamento de dois prédios clandestinos construídos na localidade. Os imóveis não tinham qualquer tipo de alvará ou fiscalização da Prefeitura ou Estado.

Principal demanda dos agentes na região foi o combate aos serviços irregulares.
Foto: Reprodução/ PMERJ

Na comunidade, o Estado levará o Casa Legal, programa de regularização fundiária. Ainda vão ser entregues títulos de propriedade e realizadas intervenções jurídicas, urbanísticas e sociais na comunidade da Zona Oeste do Rio. Também estão incluídas no Cidade Integrada as construções de uma unidade de saúde e de uma escola.

“Retomada de território”

“A principal missão do Cidade Integrada é levar ações para as comunidades. Esse não é um programa de pacificação, é de retomada do território e de entrega para o povo dessas comunidades. O diálogo com os moradores das regiões vai nortear todo o nosso planejamento”, ressaltou Cláudio Castro. 

Contudo, mesmo com esta afirmação do Governador, o que se viu no último final de semana foram inúmeros relatos de casas invadidas e depredadas por agentes que vasculhavam a comunidade do Jacarezinho, durante uma operação policial.

Segundo o Governador, nenhuma outra comunidade será ocupada enquanto o programa não estiver integralmente implantado nestas duas. Disse ainda que só é para pensar nas próximas quando estiver funcionando plenamente nas que já estão com o projeto sendo implementado.

Há um planejamento para a ocupação do Pavão-Pavãozinho e do Cantagalo, em Ipanema e Copacabana, no Cesarão, em Santa Cruz, Rio das Pedras e na Maré.

Programas exclusivos

Inicialmente, dois programas foram criados especialmente para atender às comunidades beneficiadas pelo Cidade Integrada. Um deles é o Desenvolve Mulher, de incentivo à autonomia de mulheres entre 16 e 30 anos. O Estado vai oferecer cursos profissionalizantes e, quem participar de pelo menos 75% das atividades, receberá um auxílio mensal de R$ 300, que ainda não tem data de início. Outro programa é o De Bem Com a Vida, de atendimento a idosos em espaços com entretenimento, cuidados com a saúde física e mental, inclusão digital e assistência jurídica na área previdenciária.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]