Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Com bebê de três meses em casa, moradora da Alvorada denuncia infestação de moscas devido à acúmulo de lixo em sua rua

Lorraine Souza, de 23 anos, conta que a situação é a mesma desde dezembro do ano passado
Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

Mais um caso de montante de lixo no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio, que causa preocupação com relação à saúde dos moradores. Na Rua da Assembleia, localidade da Alvorada, Lorraine Souza, 23, teme por seu bebê, de apenas três meses, por conta das dezenas de moscas que ficam não só nos fios de sua laje, como também em vários cantos de sua casa. 

“A gente tem que ficar trancado em casa. Está assim desde dezembro do ano passado, quando o caminhão de lixo demorou uma semana para passar. De lá para cá, a situação é essa. Antes, eu ainda conseguia manter minhas janelas abertas, agora nem isso”, relata Lorraine. 

Moscas se acumulam próximo à casa de moradora
Foto: Reprodução

Ela conta que passa o dia com o ventilador ligado para tentar amenizar os mosquitos. “Tem dias que o lixo está no meio da rua, o caminhão demora para passar. E quando passa retira apenas das caçambas. Vez ou outra retira o lixo do chão com aqueles tratores, porém nunca cem por cento. Eles amenizam apenas.”

Lorraine tem tanto medo pela saúde de seu bebê que estende as roupas no quarto. Ainda de acordo com a moradora, esse é um problema que afeta também os comércios da área, como uma loja embaixo da casa dela. “Por mais que os comerciantes limpem o dia inteiro, os mosquitos ficam rondando.”

Procuradas, a Prefeitura do Rio e a Comlurb ainda não se pronunciaram sobre a resolução da situação.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]