Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Para além de assistir filmes: Cine Manguinhos investe em formação audiovisual de crianças e adolescentes do território

Dividido em três eixos, o projeto realiza exibição de filmes, passeio ao cinema e formação em audiovisual - o Labzinho de Cria
Foto: @jovemnegro999
Foto: @jovemnegro999

A ideia inicial era ‘somente’ uma exibição de filmes na favela de Manguinhos, na Zona Norte do Rio de Janeiro. Mas, de 2021 para cá, transformou-se em um propósito maior. Dividido em três eixos, o Cine Manguinhos realiza exibição de filmes, passeios ao cinema e formação em audiovisual através do Labzinho de Cria. Atualmente, o foco é trabalhar com crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos, com um objetivo ambicioso: expandir para festivais de cinema.

Bruno Martins, um dos criadores do projeto, relembra o início: “O cinema da Biblioteca Parque de Manguinhos estava parado. Achávamos aquilo um absurdo e decidimos fazer nosso cineminha. O gestor da Biblioteca abriu as portas e abraçou a ideia. Nossa proposta inicial era sessão Bebel, sessão Cria e sessão Morador”, conta.

O Cine MGH, como é carinhosamente chamado, costuma ocorrer uma vez por mês em algum beco ou na quadra da Unidos de Manguinhos. “Não temos sede própria e atualmente não fazemos mais as exibições na Biblioteca Parque”, comenta.

Foto: Reprodução

Como são um projeto independente, a forma de manutenção é através de vaquinhas na internet e outras campanhas. “No momento, estamos investindo em editais, como nosso primeiro edital da RioFilme, que possibilitou o projeto Labzinho de Cria”, revela.

Apadrinhe uma criança 

A campanha ‘Apadrinhe uma Criança’ surgiu da ideia de fazer camisas para a equipe do Cine MGH, composta por 10 pessoas. “Queríamos comprar para os alunos do Labzinho, que eram 40, mas não tínhamos recursos para todos. Decidimos fazer uma campanha de apadrinhamento em que você compra a sua camisa e paga a camisa de um dos nossos alunos. Deu super certo”, compartilha.

A campanha iniciou no dia 4 de junho, há duas semanas. “Em cinco dias conseguimos vender tudo! Já estamos pensando em fazer uma nova campanha. Para a gente é muito importante porque nossas crianças vão ter suas camisas com seus nomes e vulgos. E, quem comprou, vai receber sua camisa e carregar o Cine MGH no peito.” Ele conta, ainda, que chegaram a vender para os estados de Goiás e Rio Grande do Sul: “uma grata surpresa para a gente”.

Na campanha, com R$ 60, a pessoa compra uma camisa única e original do cineclube para um dos pequenos participantes e leva outra personalizada com seu nome para casa.

Saiba mais clicando aqui

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]