Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Obra acaba com despejo diário de 12 mil litros de esgoto no Complexo do Alemão

Problema existia há cerca de 50 anos na localidade da Grota
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Esgoto na porta de casa, mau cheiro permanente e insetos por todos os lados fizeram parte do dia a dia de moradores de um beco próximo à Rua Joaquim de Queiroz, na localidade da Grota, no Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio. O problema, existente há cerca de 50 anos, foi resolvido com uma obra realizada pela Águas do Rio, que substituiu uma antiga rede por outra nova, com 48 metros de extensão, evitando que 12 mil litros de esgoto continuassem sendo despejados a céu aberto naquele local.

Cosma Rodrigues, de 64 anos, conta que precisava trocar os sapatos sempre que chegava em casa, uma medida de proteção para toda a família por causa dos resíduos de sujeira que ficavam impregnados nos calçados. “Eu não podia entrar em casa com o mesmo sapato que saía.  Deixava no portão. O beco era terrível. O esgoto transbordava, uma sujeira, um cheiro horrível”, disse.

Foto: Divulgação

A rede de esgoto naquele endereço, anteriormente construída por moradores, teve sua capacidade de escoamento comprometida com o aumento do número de casas e da população, o que resultava em frequentes vazamentos. Isso também causou a destruição de uma escada de acesso ao beco.

Dignidade em primeiro lugar

Ainda segundo Patrick Rodrigues, obras como essa no Alemão reforçam a importância de o acesso ao saneamento básico chegar para moradores de comunidades do Rio. “Todos merecem viver com dignidade, e é por isso que buscamos proporcionar melhorias significativas à população que vive nessas regiões. Estou muito satisfeito ao ver o impacto positivo que essa obra provocou no Alemão.”

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

Veja também

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]