Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Abandonado pela Prefeitura após promessa, Rio Faria Timbó segue sem revitalização

No Alemão, moradores da Fazendinha sofrem com enchentes enquanto aguardam retorno do Prefeito
Rio Faria Timbó. Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades
Rio Faria Timbó. Foto: Vilma Ribeiro/ Voz das Comunidades

O que era pra ser o realização de uma promessa antiga, acaba se tornando reflexo da falta de compromisso da prefeitura com o cidadão carioca

Em julho de 2017 a empresa Municipal de Urbanização (RioUrbe), apresentou à população um projeto inicial para a revitalização das margens do Rio Timbó, no trecho entre as avenidas Itaóca e Adhemar Bebiano. Essa foi uma grande solicitação dos moradores para a região, porém, após 2 anos e meio, ainda não saiu do papel. Importante lembrar que no ano de 2018 a rua ficou muito transitada por conta do “Buraco da Itaóca”, mas não houve uma revitalização do local, apenas a manutenção e assoreamento na faixa onde estava o buraco, mas não continuou para a extensão do rio.

Rio Faria Timbó. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades
Rio Faria Timbó. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

A equipe do Voz das Comunidades foi até a Rua Carmen Cinira, na comunidade da Fazendinha, uma das mais afetadas pela falta de revitalização no Rio Timbó, que faz divisa com a Av.Itaóca e conversou com moradores sobre essa situação. Em entrevista, Kethellyn Cristina Silva, de 14 anos, contou as dificuldades que passa quando chove. “O rio transborda e invade a casa do pessoal. Subo até o andar mais alto da casa para fugir da inundação”.

Kethellyn mostra a altura que a água chega quando o rio transborda. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Um pouco mais a frente, conversamos com Antônio Pereira, o empresário de 55 anos é dono da “Transousarocha Transportes” e nos contou também das dificuldades vividas quando acontecem chuvas muito fortes. “Já perdi tudo o que tinha dentro da loja, inclusive computadores e documentos. Ficam (prefeitura) na promessa da mudança, mas nunca fazem nada, temos que nos virar do jeito que dá!”.

Sr. Antônio e o funcionário Natanael colocaram comportas para conter a água. Foto: Matheus Andrade/Voz das Comunidades

Após ser flagrada abandonando um armário próximo ao rio, uma moradora que não quis se identificar culpou às coletas de lixo: “Ocorre todos os dias, mas eles (Comlurb) não levam os lixos de grande porte, como armários, entulhos e sofás. Temos que deixar próximo ao Timbó e com a chuva, vão parar lá dentro”. Vale lembrar, que a retirada de entulhos deve ser feita através do número 1746.

Catadores reaproveitam o lixo no local. Foto: Matheus Andrade/Voz das Comunidades

Até o fechamento da matéria, a RioUrbe e a Superintendência Regional de Inhaúma não atenderam nossas tentativas de contato. 

LEIA MAIS: Estacionamento improvisado da UPP bloqueia passagem de pedestres no Alemão

A placa colocada pela dona de casa Flávia da Silva é ignorada e o lixo continuam sendo descartado no local. Foto: Vilma Ribeiro/Voz das Comunidades

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]