Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Vazamento de esgoto em diversas partes do Complexo do Alemão atormenta cotidiano de moradores; Águas do Rio informou que realizará reparo

Escadaria da Travessa de São João, assim como a Travessa da Viúva e o Beco do G têm enfrentado este cenário corriqueiramente
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

O assunto saneamento básico no Complexo do Alemão é um problema que se estende há anos. Dessa vez, moradores de três becos denunciaram as condições em que vivem: esgoto vazando, mau cheiro, ratos, risco de doenças e tudo o que já sabemos que essas situações causam. A escadaria da Travessa de São João, assim como a Travessa da Viúva têm enfrentado este cenário corriqueiramente. Procurada, a Águas do Rio informou que está trabalhando no reparo do local nesta terça-feira (14) e amanhã (15). 

Jussiara Rocha, mais conhecida como Sarah, tem 62 anos e desde que nasceu, mora na na Travessa de São João, em uma localidade conhecida pela população do CPX como Chuveirinho. Ela conta que o esgoto da escada onde fica sua casa sempre vazou, mas que conseguiam desentupir. “Dessa vez ninguém conseguiu. Tá desde janeiro assim e ninguém faz nada. De manhã isso aqui fica cheio de fezes, tem rato pra caramba, uma vergonha”, relata. 

“Hoje de manhã a menina quase caiu com o bebê no colo. Eu só saio de casa de tênis, impossível andar de chinelo nessa sujeira. Dá pra pegar até uma doença”, complementa Jussiara. Ela, que tem mobilidade física limitada e precisa de muletas para andar, precisa multiplicar seu esforço para não sofrer nenhum acidente ao subir as escadas.

Na Travessa da Viúva, localizado na área conhecida como Areal, há dois pontos a serem resolvidos. Ao final do beco, bem na entrada da casa de uma moradora, um esgoto aberto, com visíveis vazamentos e um mau cheiro incessante.

Travessa da Viúva, Complexo do Alemão
Foto: Vilma Ribeiro / Voz das Comunidades

Ainda Travessa da Viúva, o lado da casa de dona Lucimar Alvez, de 58 anos, tem uma vala cheia de lixo e ratos que, quando chove, inunda todo o seu quintal. “Pra limpar, é uma dificuldade. É lama, fezes, rato e todo tipo de bicho”, relata. No entanto, a Águas do Rio não é responsável pela vala em questão, mas sim a Prefeitura do Rio.

Entramos em contato com a prefeitura e até a publicação desta matéria, não obtivemos retorno.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

Veja também

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]