Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Projeto de educação da Maré, UniFavela, ganha Prêmio Sim à Igualdade Racial 2022

Instituição socioeducativa atua desde 2019 na comunidade e foi premiado no Pilar Educação
Foto: Victor Vieira
Foto: Victor Vieira

Diretamente do Complexo da Maré, a iniciativa educacional que transforma a vida de jovens, UniFavela,foi parar no Multishow ao ganhar o Prêmio Sim à Igualdade Racial 2022.

O projeto, que começou numa laje, com pouca estrutura, mas motivado para atingir diversos moradores da comunidade, recebeu a premiação no Pilar Educação dentro da categoria “Educação e Oportunidades”, ao lado de figuras como Ailton Krenak, na categoria “Intelectualidade”, e Joenia Wapichana, “Inspiração”.

Foto: Victor Vieira
Laerte Breno, presidente e fundador do Unifavela
Foto: Victor Vieira

A instituição socioeducativa tem como objetivo dissipar o ensino popular, com três cursos pré-vestibulares dentro do Complexo da Maré, que é composto por 17 favelas e cerca de 140 mil habitantes. Em 2018, o índice de aprovação do UniFavela foi de 100%. 

Um dos aluno do projeto educacional
Foto: Reprodução / Redes Sociais

O Prêmio Sim à Igualdade Racial nasceu em 2018 como uma iniciativa do Instituto Identidades do Brasil (ID_BR) de reconhecer e premiar os principais nomes de pessoas, empresas, iniciativas e organizações que atuam em prol da Igualdade Racial no país nas áreas de empregabilidade, educação e cultura. Na edição de 2022, os vencedores de 8 categorias receberam uma premiação em dinheiro para apoiar em seu projeto.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]