Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Jaé! Substituindo o RioCard, conheça o novo sistema de bilhetagem no transporte do Rio

Novo modelo foi apresentado pelo prefeito Eduardo Paes nesta terça-feira (18)
Jaé Cartão
Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

A terça-feira começou com uma grande novidade no Rio de Janeiro. O prefeito Eduardo Paes lançou o “Jaé”, o cartão de passagens de transporte público que substituirá o RioCard.

A migração começará nesta quarta-feira (19) unicamente pelo BRT e será gradual nos próximos seis meses. A partir do 1º de fevereiro do ano que vem, vans, kombis, BRTs, ônibus e VLTs só aceitaram o Jaé como passagem. A concessionária do Jaé negocia com a Supervia e MetroRio sobre o uso nestes transportes.

Neste primeiro momento, ainda que o Jaé já esteja operando, é preferencial que o usuário utilize o RioCard e aguarde a transição para outras opções do transporte público. O cartão vai custar R$ 4,30 sendo o valor já contará como uma viagem para o sistema. Em caso de perda ou extravio, o usuário terá que pagar R$ 30,10. Caso a perda tenha sido por roubo e furto, a segunda via pode ser gratuita, mas será necessário apresentar boletim de ocorrência.

O Jaé vai ter controle por biometria facial, igual ao que já acontece com o RioCard em alguns validadores. Se o sistema detectar alguma distorção, o usuário vai ser avisado e poderá ter o cartão bloqueado. Conforme informações da prefeitura, até outubro ainda terá máquinas de atendimento do RioCard nas estações do BRT. As estações que não terão máquinas do Jaé nessa fase serão as estações do BRT: Prefeito Alim Pedro, Vila Militar, Santa Eugêia, General Olímpio e Santa Veridiana.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

Veja também

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]