Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Favelivro inaugura biblioteca Rene Silva em Duque de Caxias

Evento ocorreu no último sábado e contou com a presença de Rene Silva, família e amigos
Foto: Selma Souza / Voz das Comunidades

Melhor do que deixar uma marca, é deixar um legado. É dar importância de criar algo duradouro e significativo, algo que vá além do momento presente e impacte positivamente as gerações futuras. Um legado pode ser construído através de nossas ações, palavras e contribuições para a sociedade. Seja inspirando outros, criando obras de arte, promovendo mudanças sociais ou simplesmente sendo uma pessoa boa e compassiva, todos nós temos a oportunidade de deixar um legado duradouro. E é assim que Rene Silva, ativista e comunicador, deixa o seu legado na Educação. Com uma biblioteca em seu nome.

A iniciativa Favelivro busca disseminar a leitura em áreas periféricas do Rio de Janeiro e municípios vizinhos, beneficiando crianças, jovens e adultos. As bibliotecas, nomeadas em homenagem a grandes personalidades, celebram o poder transformador da educação. Regina Casé, Ancelmo Goes e Celso Athayde, por exemplo são personalidades que já tem espaços batizados em seus nomes pela Favelivro. E chegou a vez de Rene Silva ganhar a sua.

A inauguração rolou no último sábado (11) e teve a presença do comunicador. Além dele, sua família e alguns amigos também participaram da cerimônia que aconteceu no Espaço Cultural Semeando Axé. Idalina Souza, presidente do espaço, falou sobre a importância de ter uma biblioteca, ainda mais com o nome de Rene. “Essa biblioteca estava esperando o Rene. Tanto tempo que eu queria colocar um nome, só que não sabia qual colocar. Ela foi aberta há 2 anos atrás, mas não tinha nome nenhum. Ela estava só esperando ele e ele apareceu. É uma gratidão pra mim”, concluiu emocionada.

Verônica Marcílio, fundadora da Favelivro, falou a honra em ter recebido Rene e família para a inauguração da biblioteca. “Rene fez parte da minha história e também da história do Favelivro. Ter o nome dele em uma biblioteca não é só ratificar que o jovem precisa ler e que a leitura precisa ser expandida, mas significa que o Brasil venceu. Ele foi um dos personagens principais de trazer a redemocratização do Brasil. O Brasil da cultura, o Brasil da liberdade, o Brasil da produção, o Brasil da cultura.”

Após a inauguração, o homenageado também falou sobre a iniciativa Favelivro, em semear a educação pelos territórios do Rio de Janeiro “E quando colocamos uma biblioteca aqui na Baixada Fluminense, aqui em Duque de Caxias, a gente vê novas sementes surgindo, crianças com novos pensamentos de um futuro melhor. Assim que eu enxergo o nascimento dessa biblioteca aqui no Favelivro”, disse Rene.

Confira fotos:

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

Veja também

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]