Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Favelivro inaugura biblioteca comunitária Paulinho Moska em Manguinhos

Convidado pelo projeto, o artista é patrono do espaço na comunidade que leva seu nome
Foto: Reprodução / Instagram Favelivro
Foto: Reprodução / Instagram Favelivro

Uma biblioteca comunitária foi inaugurada em Manguinhos, na Zona Norte do Rio, no último domingo (13). Idealizado pelo movimento Favelivro, que já inaugurou outras bibliotecas, como a no Complexo do Alemão, o novo espaço está localizado na Vila Turismo e contou com a presença do cantor e compositor Paulinho Moska. O artista é o patrono de uma das várias bibliotecas espalhadas pelas favelas e escolas públicas da região metropolitana do Rio. 

Moska, que se inspira em clássicos da literatura para compor músicas, fez um discurso emocionado. “Todo livro é um livro de poesia e tudo o que eu queria ser é a poesia de um livro. Hoje, aqui e agora, no dia da inauguração de uma biblioteca com meu nome, eu me sinto a própria poesia”. 

Moska com uma das fundadoras do Favelivro, Verônica Marcílio
Foto: Reprodução/Instagram

A presidente da Associação dos Moradores, Marta, esteve presente no evento. Durante a sua fala, ela afirma que poucas iniciativas como essa são vistas na comunidade. “A gente queria te agradecer. Poucas coisas que a gente vê assim. Esse apoio é muito gratificante. Fica aqui o nosso agradecimento”. 

A ideia do Favelivro é garantir o acesso à educação e a leitura. Para isso, a instituição fica responsável pelas criações de bibliotecas e fornece um acervo inicial de 1000 livros e faz contato com o patrono escolhido pelos moradores da região. 

Os interesssados em doar livros ou pedir uma biblioteca podem mandar mensagem no Instagram do @favelivro ou no telefone da fundadora do projeto, Verônica Marcilio, (21) 983668117. Todos os livros são recolhidos nas casas dos doadores pelos voluntários.

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]