Pesquisar
Close this search box.
Pesquisar
Close this search box.

Conheça a Casa Voz Vidigal; o novo espaço do Voz das Comunidades na Zona Sul do Rio

A Casa Voz Vidigal está aberta para toda a comunidade
Casa Voz Vidigal. Foto; Uendell Vinícius/Voz das Comunidades

Senhoras e senhores, a casa do povo está aberta! São com essas palavras que abro o texto sobre a Casa Voz do Vidigal, o novo espaço do Voz das Comunidades. A casa foi inaugurada junto com o F20, evento que colocou a favela no debate global. A Casa VDG (Vidigal) se localiza ao lado do Mirante do Avrão, na comunidade do Vidigal, na Zona Sul do Rio de Janeiro. O espaço conta com o espaço de quatro andares amplos, destinado para atividades culturais, sociais e coletivas.

“É uma realização muito grande, era um desejo nosso há bastante tempo, e daí a Ambev veio enquanto parceira para reativar esse espaço, é muito bom a gente priorizar isso enquanto responsabilidade social”, conta Gabriela Santos, diretora institucional do Voz das Comunidades. Na inauguração, a Casa Voz do Vidigal já disponibilizou um ciberespaço, com computadores com acesso à internet para que a comunidade possa usar. “Queremos fazer daqui um mini polo tecnológico e também um espaço cultural, onde vai ter oficinas como teatro, dança, jiu-jitsu, enfim, a gente quer ocupar o prédio de maneira geral.

Gabriela Santos é diretora institucional do Voz das Comunidades
Foto: Uendell Vinicius / Voz das Comunidades

Promovendo a Comunicação Comunitária

Gabi Santos também revela outras dinâmicas que pretende para a Casa Voz do Vidigal. “A gente entende que hoje, os jornalistas vivem em diversas comunidades. Então os jornalistas estão localizados nas comunidades do centro, ou mais localizados na zona sul da cidade, poderão usufruir do espaço. Além disso, queremos promover uma capacitação de jornalismo comunitário dentro do território. O objetivo é atuar diretamente com a juventude, para promover a profissionalismo e a comunicação através do próprio Voz das Comunidades.

A nova Casa Voz com a cara do Voz

Foram necessários muitos braços para revitalizar, estruturar e promover um espaço bem equipado para colocar de pé a Casa Voz Vidigal. Este sonho começa há 14 anos atrás, com a Jackie de Botton, diretora da instituição @The School of Life Brasil, investidora que vê no prédio com a vista mais alto do morro uma oportunidade de incentivar a educação. No momento mais difícil da construção, ela faz contato com Rene Silva. E a história começa a ganhar forma, a partir de 2019. Hoje, está entregue para a população, o novo espaço da Casa Voz Vidigal. Nas palavras da Jackie: “Bem vindos a esse sonho da minha vida – agora ele é de vocês também”, mostrando que a coletividade conseguirmos ir mais longe.

O encontro de gigantes, Jackie ao lado de Rene, na abertura do F20 e do novo espaço do Voz das Comunidades. Foto: Divulgação/Voz das Comunidades

O prédio foi inaugurado oficialmente com a realização do F20 e está lindão, graças aos profissionais da construção civil e principalmente, os artistas plásticos que colaram nesta empreitada de dar cor e forma a Casa Voz Vidigal.

O primeiro andar é uma sala mais reservada para entrevistas e figuras importantes, com autorização apenas da equipe do Voz das Comunidades. No segundo andar, funciona a redação do Voz. Esse lugar é destinado a jornalistas para desenvolvimento de pautas e cobertura de eventos. Além disso, a sala da redação terá um pequeno hub, disponibilizando computadores acesso à internet para a comunidade. O terceiro andar é destinado a projetos sociais e já funciona como casa do Vidiga na Social, iniciativa que reúne crianças e adolescentes em uma grande bateria, ensinando sobre diferentes instrumentos de percussão. O quarto andar é a nossa laje, com a melhor vista do Rio de Janeiro, destinada para receber eventos.

“O processo foi muito inspirador, ver a juventude se mobilizando em prol do bem-estar social do Favelado. Toda equipe presente durante a produção artística foi bem participativa, trabalhar com uma equipe de jovens com sagacidade de construir juntos. Essa parte me tocou muito. Eu como artista periférica me sinto representada em ocupar este espaço através da arte”, conta Malu, artista de arte urbana que grafitou as paredes da Casa Voz.

Artista Malu Vibes usando a camisa do F20.
Foto: reprodução/Arquivo Pessoal

Além dela, Mano Benke, também artista local, comemorou sua participação na Casa Voz do Vidigal. “Onde tudo começou! Eu estou aqui!”

Confira fotos da Casa Voz Vidigal:

Compartilhe este post com seus amigos

Facebook
Twitter
LinkedIn
Telegram
WhatsApp

EDITORIAS

PERFIL

Rene Silva

Fundou o jornal Voz das Comunidades no Complexo do Alemão aos 11 anos de idade, um dos maiores veículos de comunicação das favelas cariocas. Trabalhou como roteirista em “Malhação Conectados” em 2011, na novela Salve Jorge em 2012, um dos brasileiros importantes no carregamento da tocha olímpica de Londres 2012, e em 2013 foi consultor do programa Esquenta. Palestrou em Harvard em 2013, contando a experiência de usar o twitter como plataforma de comunicação entre a favela e o poder público. Recebeu o Prêmio Mundial da Juventude, na Índia. Recentemente, foi nomeado como 1 dos 100 negros mais influentes do mundo, pelo trabalho desenvolvido no Brasil, Forbes under 30 e carioca do ano 2020. Diretor e captador de recursos da ONG.

 

 

Contato:
[email protected]